Como consumir e para que servem os chás

 

 

Além de aquecer nos dias de inverno,os chás trazem outros benefícios. O mais comum  é o poder de hidratação.Eles auxiliam também no funcioanamento intestinal, na produção de enzimas digestivas e ajudam no equilibrio hidrico as células.

Outros efeitos positivos dependem do tipo de chá. eles podem ser digestivos,calmantes,termogênicos,de combate ao envelhecimento precose e redução da produção de radicais livres. A bebida não substitui medicações e os benefícios dependem do tipo de chá.

Nascido na China, no século 14, o chá chegou à Europa somente no século 17. Hoje, é apreciado no mundo todo, e em determinadas situações adquire status de bebida chique. A especialista argentina Inés Barton diz que, misturados a cacau, baunilha, aromas de manga e papaia ou pétalas de hibiscos, os chás se tornam deliciosas iguarias. Mas ela ressalta que é preciso distinguir entre chás e infusões. “Chás são feitos a partir de folhas da Camellia Sinensis, planta originária da Ásia. Dela são extraídos o chá preto, o verde e o oolong [variante que pode ter sabor semelhante ao chá preto ou ao chá verde, dependendo do processo de fermentação e oxidação das folhas]”, explica. Já bebidas com água quente e outras ervas são infusões.

 

Como consumir:

– Chás verdes, preto, branco e mate não são recomendados para crianças, gestantes, cardiopatas, hipertensos, pessoas que tenham gota ou alterações de tireoide, problemas estomacais, osteoporose,osteopenia,osteomalácia e raquitismo.

– O chá verde deve ser consumido longe das refeições para não comprometer a absorção dos nutrientes.

-Prefira consumir o chá usando as próprias folhas, naturais ou desidratadas.

– Não é recomendado beber mais do que quatro xícaras por dia.

– Evite o uso de açúcar ou adoçante.

– Água fervente,acima de 100ºC, pode amargar a bebida e diminuir suas propriedades. O ideal é que a água esteja entre 60ºC e 85ºC, quando ela começa a formar bolhas.

Para que servem:

Segundo Carla Machado, nutricionista da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, as ervas frescas podem ter seus efeitos potencializados, pois não sofreram secagem, moagem e separação. “Mas isso não significa que elas percam as propriedades ao passar por esses processos”, completa. Também não perdem se forem misturadas entre si. Veja para que serve cada uma:

Erva-doce: faz bem para o estômago e para infecções nos brônquios.
Erva-cidreira: antiespasmódica (ameniza cólicas) e antiinflamatória.
Boldo: age no restauro do fígado e cura ressaca.
Hortelã: corta azia, má digestão e ajuda a combater a insônia.
Camomila: serve para atenuar crises nervosas, reumatismo e febre.
Chá mate (torrado ou verde, como no chimarrão): tira fadiga, dor de cabeça e melhora a retenção líquida.
Chá verde, oolong e chá preto (todas as variantes): antioxidante, anticancerígeno e também contribui no combate ao colesterol alto.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Midia, Novidades, Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s